sexta-feira, 18 de agosto de 2017

União Avassaladora

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Série Herdeiros Trocados

Adorável escândalo!

Perto de fechar o acordo mais importante de sua vida, o poderoso CEO Rigo Marchesi é surpreendido por uma notícia bombástica: a noite inesquecível que tivera com a atriz Nicole Duvalle resultara em uma gravidez inesperada. 
Com receio de o escândalo destruir seu império, Rigo decide pedi-la em casamento. 
Porém, ao passar mais tempo ao lado de Nicole, esse taciturno bilionário percebe que ela não é a interesseira que imaginara. 
E agora Rigo está determinado a mostrá-la todos os deliciosos benefícios de ser a esposa de um Marchesi.

Capítulo Um

Ela sem dúvida estava sendo seguida.
Nicole segurou a alça do carrinho de bebê com mais força e apertou o passo. O mesmo jipe preto passara por ela três vezes, desde que começou a fazer sua caminhada matinal pela aldeia. No interior, havia dois homens usando óculos escuros, que não disfarçavam o fato de a estarem observando. 
Quando o veículo reduziu a velocidade e parou por completo a uma curta distância atrás dela, uma familiar pontada de terror comprimiu-lhe a garganta.
A alameda de paralelepípedos que levava à sua casa ainda estava escorregadia por causa da leve garoa de abril. Suas sapatilhas raspavam contra as pedras. O ar entrava e saía dos pulmões com dificuldade. 
Um grito alegre soou de dentro do casulo de cobertores cor-de-rosa, enquanto o carrinho de bebê saltava e sacolejava. Nicole esforçou-se e sorriu para a filha com os lábios contraídos, convocando uma calma interior que não tinha certeza de que possuía. Estavam quase chegando em casa. Entraria, trancaria a porta e tudo ficaria bem.
Quando virou a última curva que levava à La Petite, desacelerou o passo e parou. Junto aos portões havia inúmeros veículos, e uma fila com outros tantos mais acima. Um batalhão de fotógrafos a aguardava, com suas câmeras penduradas nos pescoços. Nicole sentiu um zumbido nos ouvidos, quando sua pressão arterial de imediato disparou.
Eles a haviam encontrado.
Pensando rápido, tirou o agasalho leve e colocou-o sobre o capô do carrinho. A multidão aproximou-se depressa, formando um círculo ao seu redor. As câmeras começaram a espocar. Ela manteve a cabeça baixa. Tinha a sensação que os pulmões iam estourar, enquanto tentava seguir em frente. O círculo parecia se fechar mais e mais ao seu redor. Pelo visto, o fato de haver um bebê não fazia diferença alguma para a definição de espaço pessoal dos paparazzi.
Um homem deu um passo à frente, bloqueando sua passagem.
— Ora, vamos, apenas uma foto rápida da criança, Srta. Duvalle — disse ele com um sorriso cortante e perigoso. — Você a manteve muito bem escondida, não é?
Nicole mordeu o lábio inferior. O melhor a fazer era se manter calada. Não diria uma palavra e rezaria para que fossem embora. O som dissonante e repentino de uma buzina de carro era o que ela precisava, quando o jipe preto apareceu na rua, atrás dela. O veículo avançou na direção dos fotógrafos, obrigando-os a se dispersarem. Aproveitando a distração, ela se moveu o mais rápido que pôde, caminhando apressada através da multidão.
Pareceu levar uma eternidade até cruzar o portão de entrada da propriedade. Os fotógrafos não podiam entrar ali sem infringir a lei, mas não era tão ingênua a ponto de pensar que estava fora do alcance deles.
Jamais voltaria a ter privacidade naquele lugar. O pensamento trouxe um soluço de choque à sua garganta.
Resistiu ao impulso de olhar por sobre o ombro e se concentrou em pegar as chaves na bolsa com as mãos trêmulas. Uma vez no interior da casa, fechou o trinco e pegou Anna nos braços. O perfume da roupa de algodão da filha acalmou seus nervos, proporcionando-lhe um pequeno momento de alívio em meio à névoa de pânico. O sol se infiltrava através das janelas, iluminando a sala e enchendo o espaço de luz. Os cintilantes olhos azuis da menina pareciam sorrir para ela, tão calmos e alheios à situação.
Precisava saber o que estava acontecendo. E logo.

Série Herdeiros Trocados
2- União Avassaladora 
3- Segredo Precioso - a revisar
4- Amor único -  idem
5- Amor profundo - idem

Desejo Profundo

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Série Amores Inesperados
Um laço inabalável!

O fim do noivado do príncipe Raphael DeSantis virou um escândalo internacional. Mas, para Bailey Harper, foi ainda mais surpreendente. 
Ao ler nos jornais que o ex-amante é um membro da realeza, ela percebe que carrega no ventre um herdeiro ao trono! 
Agora que seu casamento de conveniência foi desfeito, Raphael só pensa em retomar o relacionamento que tinha com Bailey. E quando descobre que ela está esperando um filho seu, sabe que precisa transformá-la em sua esposa. Bailey pode até estar relutante em se tornar rainha, mas será que conseguirá resistir ao poder de persuasão desse estonteante príncipe?

Capítulo Um

Foi uma noite perfeita. Tão bela, com as luzes brancas de Natal enfeitando as fachadas dos prédios de Vail e se refletindo na neve ao redor. Como estrelas caídas do céu para iluminar o caminho dos dois.
Sim, a noite foi perfeita e Raphael mais ainda. Mas ele sempre conseguia se superar em perfeição.
Bailey custava a acreditar que era real, mesmo após oito meses de relacionamento. Raphael era como um personagem de conto de fadas e ela, uma garota que nunca imaginou ter um final feliz.
Mas isso foi antes de conhecê-lo.
Era verdade que só o encontrava em intervalos de alguns meses, quando ele viajava ao Colorado a negócios, e nunca por um período longo.
Durante toda a vida adulta, Bailey foi cautelosa em relação a relacionamentos amorosos. Mas com Raphael... Aquela prudência nunca existiu.
Entregou-se a ele sem se preocupar em se proteger, sem pensar em nada além do fato de desejá-lo à loucura.
Com Raphael, era uma mulher diferente. Apaixonada.
Era tudo tão excitante quando ele estava presente. E aquela noite não foi exceção. Após o jantar, caminharam pela cidade, antes de retornar ao hotel, onde Raphael á deixou enlouquecida.
Bailey percebeu algo diferente nele, uma intensidade exacerbada na forma como fazia amor naquela noite.
Estirando-se sobre os lençóis, ela enroscou os dedos, ainda se recuperando do clímax alucinante. Com uma risadinha, rolou para o lado, olhando na direção do toalete.
A porta estava fechada e Bailey deixou escapar um suspiro profundo, aguardando, impaciente, que ele voltasse para a cama.
Aquela noite parecia diferente. Significante e especial.
Bailey o amava tanto que chegava a doer. Nunca imaginou sentir algo tão profundo por alguém e ser correspondida da mesma forma.
Encontrava-se preparada para dar o próximo passo. Para tudo.
A porta do toalete se abriu, fazendo o coração de Bailey perder uma batida. Era ridícula a forma como Raphael á deixava embevecida. Mas nunca havia permitido que um homem se aproximasse a ponto de ter aquele tipo de intimidade.
Pelo fato de trabalhar como garçonete, Bailey conhecia muitos homens e alguns chamavam sua atenção, mas nenhum nunca a afetou. Quando saiu da casa da mãe, aos 16 anos, encontrava-se desiludida com o sexo masculino. Presenciou muitas desilusões amorosas. Muitos gritos.
Decidiu gerir a própria vida e construir seu futuro. Chegou aos 21 anos, virgem porque sempre esteve determinada a esperar o momento certo, quando estivesse preparada.
E então conheceu Raphael. Os amigos custavam a crer que ele existia e costumavam provocá-la com perguntas como “Raphael? Você está namorando uma Tartaruga Ninja?”.
Raphael nunca os conheceu porque sempre se encontrava exacerbado de trabalho toda vez que viajava ao Colorado. Além disso, Bailey o queria só para ela.
Sim, aquele homem a deixava deslumbrada e Bailey achava que sempre seria assim.
— Não deveria estar se vestindo? — perguntou ele.
Bailey franziu a testa diante da pergunta inesperada. Sempre passavam a noite juntos quando ele visitava a cidade.
— Pensei... Bem...

Série Amores Inesperados
1- Enfeitiçado Pela Paixão
2- Desejo Profundo 
3- Fonte de Amor - a revisar

Leis da Atração

ROMANCE CONTEMPORÂNEO 
Série Rose Cottage
A lei do amor!

Após um caso difícil, a advogada Ashley D’Angelo se refugiou no chalé da avó para reavaliar a vida. Mas, apesar do que suas irmãs acreditam, não há nada de mágico em Rose Cottage! 
Ela tem certeza de que não irá sucumbir à “maldição” de se apaixonar enquanto visita o lugar. Porém, depois de um memorável encontro com Josh Madison, Ashley é dominada por uma forte atração. 
Ele parece ser diferente de todos os homens que já conhecera. Contudo, há muito mais em Josh do que seus olhos podem ver. E quando Ashley descobrir o segredo que ele esconde, seu romance de conto de fadas pode se tornar um verdadeiro pesadelo!

Capítulo Um

Aquilo não devia ser o que de pior poderia lhe acontecer, decidiu Ashley, estoica, enquanto entocava mantimentos no refrigerador de Rose Cottage.
Duas de suas irmãs e os respectivos maridos moravam próximo, portanto não seria como se estivesse isolada no meio de estranhos.
Poderia mandar instalar TV a cabo e conseguir acessar o canal que transmitia diretamente dos tribunais, bem como os melhores canais de notícias. Trouxera de Boston uma caixa de seu vinho favorito, juntamente com o montante de um ano de artigos escritos pelos mais renomados juristas do país. Acrescentara à bagagem até mesmo alguns romances, ambientados no meio jurídico, claro.
A chave para uma estadia agradável seria planejar a rotina diária e organizar cada minuto para não ter chance de pensar no que acontecera no tribunal, em Boston. Ora, seria moleza! Era mestre em organização, uma das qualidades que a tornara capaz de manter uma carga de casos tão extensa.
Levara uma semana para distribuir os casos de que estava encarregada entre os outros sócios durante sua ausência. Trabalhara de maneira compulsiva para se certificar de que os colegas entendessem as necessidades dos clientes em pormenores. Sabatinou cada um deles com tanta minuciosidade que os fez ansiar em vê-la pelas costas.
Após aquela semana de ritmo frenético, depois de abastecer o carro com todos os itens básicos, sem os quais não conseguiria viver e fazer uma longa viagem de carro, estava começando a se sentir letárgica, era só. Era de se esperar. 
Na manhã seguinte, provavelmente estaria subindo pelas paredes... Ou telefonando para o escritório a cada cinco minutos para se certificar de que os colegas estavam dando conta de seus casos. Sabia que não levaria mais do que um dia ou dois para os advogados já exasperados a quem delegara os casos perdessem a paciência com ela. Portanto, teria de resistir à tentação.
Ashley pousou o laptop sobre a mesa da cozinha e arrumou uma pilha de blocos e canetas ao lado da máquina. Tivera de recorrer a toda a força de vontade que possuía para não trazer os livros jurídicos, mas havia muita informação disponível na internet. Faria algumas anotações sobre os casos pendentes que deixara para trás e as apresentaria no momento certo.
A simples visão das ferramentas que lhe eram familiares a fez se sentir melhor, como se sua vida não tivesse saído de controle.
Mas tão logo tudo se encontrava em seu devido lugar, Maggie e Melanie irromperam pela porta dos fundos, examinaram aquele estoque de suprimentos de trabalho e os guardaram em uma bolsa de compras, ignorando as objeções acaloradas de Ashley.
— Que diabos estão fazendo?

Série Rose Cottage
3- Leis da atração
4- Passos para o futuro 

Passos para o Futuro

ROMANCE CONTEMPORÂNEO 
Série Rose Cottage
Um amor inesquecível?

As irmãs de Jo D’Angelo acham que conhecem o remédio perfeito para curar seu coração partido: alguns dias relaxantes no idílico chalé que pertencera a sua avó. 
Contudo, para ela, Rose Cottage é apenas uma lembrança dolorosa do romance que tivera com Pete Catlett, anos atrás. 
Ele mal pôde acreditar quando descobriu que Jo estava de volta à cidade, mas teve a ligeira impressão de que era a última pessoa que ela queria encontrar batendo a sua porta. 
Pete jurou recuperar a confiança de Jo e ganhar seu perdão. E, quem sabe, conquistar novamente a mulher que jamais conseguiu esquecer.

Capítulo Um

Como se o tempo estivesse mancomunado com as irmãs dela, a neve começou a cair uma hora após a chegada de Jo a Rose Cottage. Ela olhou pela janela, contemplando os grandes flocos úmidos pousarem no solo. Com um pouco de esforço, sufocou a vontade de chorar.
— O que foi? — perguntou Ashley, deslizando um braço reconfortante ao redor de seus ombros. Jo virou-se para a irmã mais velha, os olhos marejados de lágrimas.
— Vocês têm que estar sempre certas sobre tudo? — perguntou frustrada.
Ashley sorriu.
— Quase sempre. Por quê?
— A neve acaba de começar a cair. Vocês não podem ter controle sobre o tempo.
Ouvindo isso, Melanie e Maggie apressaram-se para se juntar a elas.
— Vai ser bonito — prometeu Melanie, postando-se ao seu lado e envolvendo-a pela cintura. — Você verá. Pela manhã, a paisagem lá fora vai lembrar uma terra encantada.
— E eu ficarei completamente presa aqui e sozinha — resmungou Jo, mergulhada em um mar impróprio e incomum de autopiedade. — Não terei nada para fazer a não ser pensar. — Ela estremeceu com a perspectiva. Seus pensamentos não eram tão felizes nos últimos tempos.
— Nós viremos resgatá-la — prometeu Ashley.
— Trarei Jessie. Vocês duas podem dar uma volta de trenó — sugeriu Melanie, referindo-se à enteada hiperativa. — Vai se sentir muito melhor e adquirir um pouco de cor nesse rosto.
— Está frio lá fora.
— Por favor — argumentou Melanie. — Comparado a Boston, nosso clima aqui é quase tropical. Além do mais, você adorava andar de trenó.
— Quando tinha 8 anos — murmurou Jo.
— Tudo bem, se não está interessada, podemos sentar todas aqui em frente à lareira, beber chocolate quente e comer s’mores — disse Ashley em tom tranquilizador, como se percebesse que Jo estava prestes a perder o controle. — Ou Maggie pode assar um bolo. A casa ficará inundada com aqueles aromas maravilhosos, como quando mamãe assava biscoitos para nós nos dias de neve.
Jo sabia que as irmãs estariam todas na sua porta de manhã cedo, durante todos os dias que durasse a sua estada ali, a menos que ela colocasse um fim àquilo naquele exato momento. Se comesse todos os biscoitos que Maggie era capaz de assar, estaria uma bola na Primavera.
— Está bem, já chega


Série Rose Cottage
3- Leis da atração
4- Passos para o Futuro
Série concluída

A Força do Amor

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
A insegurança fez Nicole esconder a verdade.

Agora ela iria pagar por isso. 
Nicole estava exasperada. Depois de tanto tempo se defendendo do amor, apaixonara-se justamente por William, um homem que fora enganado e que por isso odiava as mulheres. 
Como se não bastasse, agora ele iria descobrir que Nicole mentira, ocultando sua verdadeira identidade. Mas o que poderia ter feito? Se lhe dissesse quem era realmente, aí sim, teria o seu desprezo para sempre.

Capítulo Um

Nicole White ficou indecisa quando seu chefe, Gerald Christopher, sugeriu que ela o acompanhasse à fazenda da família dele em Montana. O sr. Christopher necessitava repousar durante algumas semanas, após o médico ter diagnosticado uma úlcera, agravada pelo excesso de trabalho.
De fato, ele precisava de tranquilidade, mas Nicole não estava gostando da ideia de se afastar da agitação de Chicago.
Depois de trabalhar por dois anos na Companhia Christopher, ela estabelecera uma agradável rotina, a qual não pretendia mudar.
Se o sr. Christopher permanecesse em Montana durante um mês, como pretendia, o escritório ficaria fechado e Nicole seria dispensada até quando ele voltasse. Apesar de ganhar um bom ordenado, passar um mês sem salário era motivo de preocupação para ela. Por ironia, Nicole White pertencia a uma das famílias mais ricas de Kentucky. Seu pai, que frequentava a alta sociedade, era proprietário de famosos cavalos de corrida.
Entretanto, já fazia muito tempo que Nicole havia renunciado à parte dela na fortuna da família. E, desde então, decidira trabalhar para se sustentar.
Tomara tal resolução logo após a morte da mãe. Nessa época, o pai tinha uma amante, e o relacionamento familiar se tornara insuportável. Nicole, porém, pensara que o noivo, Chase James, fosse marcar para breve a data do casamento. Ele ocupava um bom cargo numa imobiliária, e o salário daria bem para arcar com as despesas de uma casa. Contudo, ao descobrir que Nicole abrira mão da herança dos White em caráter definitivo, Chase desmanchara o noivado. E, pior ainda, mostrara interesse imediato por uma amiga de Nicole, rica e solteira.
Desiludida, Nicole abandonara a elegante mansão da sua infância em Lexington, Kentucky, bem como uma criação de cavalos que valia milhões. Passara a viver com simplicidade, trabalhando como secretária em Chicago e dividindo um pequeno apartamento com uma amiga.
O início da carreira fora difícil para Nicole. Aos vinte anos e sem nenhuma experiência, precisara muito da paciência do sr. Christopher para ajudá-la. Mas, graças a isso e a um curso de secretariado, conseguira superar esses obstáculos.
Tudo isso, no entanto, lhe parecia muito distante naquele momento. O que a preocupava era o convite do chefe. Seus expressivos olhos verdes não escondiam um certo conflito interior ao encará-lo.
— Você vai gostar, Nicky — Gerald Christopher afirmou, tentando convencê-la. — A fazenda fica na parte sul do Estado, junto às Montanhas Rochosas. É cercada por florestas, há muitos lagos, rios e tranquilidade. Nada melhor para curar essa úlcera. Poderemos trabalhar sossegados, e você terá bastante tempo livre,
— Mas o senhor acha que o seu irmão e a família dele não se importarão em hospedar a sua secretária?
Apesar de já trabalharem juntos há dois anos, Nicole sabia bem pouco a respeito da vida particular do sr. Christopher. Apenas ouvira-o mencionar o irmão e alguém chamada Mary, que julgava ser a cunhada. Era realmente tudo o que sabia sobre ele.
— William não tem família — ele retrucou.
Gerald era um homem bem simpático. Alto, cabelos e olhos castanhos e muito dedicado ao trabalho. Era um ótimo patrão, e Nicky o estimava, mas não passava disso. Desiludira-se muito após a traição de Chase e não acreditava mais no casamento. E, mesmo se acreditasse, sem os vestidos de etiquetas famosas e sem os diamantes, os homens não a notavam mais, ela pensava sempre com amargura.
— Seu irmão já esteve aqui uma vez, não foi?

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Série Homens do Texas

50- Nascido no Texas
ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Gabriel Brandon fora seu herói desde que era menina e ele a resgatara, uma órfã, da ruína certa. 

E Michelle Godrey o amara para sempre, o misterioso rancheiro de olhos escuros, seu protetor e anjo da guarda. Agora ela havia se transformado numa mulher. Mas seria Michelle capaz de deixar de lado as sombras que pairavam entre eles? Poderia ela mostrar a Gabriel que o amor deles era verdadeiro?



51 - Indomado



O homem mais perigoso é o único que ela deseja...

Stanton Rourke vive a vida no limite. O mercenário de aço é perigoso em todos os sentidos... especialmente para o coração de Clarisse Carrington. 
Ela e Rourke costumavam brincar juntos quando crianças, mas ela não é mais a menina inocente que ele uma vez conheceu. 
Quando a tragédia roubou toda a família de Clarisse, sua vida mudou para sempre. 
Além disso, ela é uma mulher adulta agora, e há segredos que a impedem de sucumbir ao seu perseguidor.
Enquanto ela se esforça para manter distância, faíscas tão quentes quanto o verão no Texas voam entre eles. Mas o perigo está seguindo Clarisse, deixando-a sem nenhuma escolha, a não ser confiar em Rourke, mesmo que as velhas feridas latentes entre eles se abram novamente..

52 - Defender

O homem que quebrou sua confiança está de volta para protegê-la....

Quando Paul Fiore desapareceu da vida de Isabel Grayling, ele disse a si mesmo que era por todas as razões certas. Ela era jovem e inocente, e ele era o humilde empregado do pai milionário dela. 
Três anos depois, Paul é o agente do FBI designado para o caso de Isabel. Tarde demais, ele percebe como realmente era a vida na mansão dela no Texas naquela época ― e quanto estrago ele fez quando partiu.
Outrora perdidamente apaixonada e protegida, Isabel se tornou uma assistente de promotoria comprometida a servir a lei, não importando o quão arriscado fosse. Mas agora, o homem que ela não consegue perdoar é a única coisa entre ela e um perseguidor mortal. Ela sabe que Paul não hesitará em proteger a vida dela com a sua própria vida. Mas se ela não pode confiar em si mesma para resistir a ele, como poderá confiar que ele não partirá seu coração outra vez?



Série Homens do Texas
1- O Gosto do Pecado
 2- Aprendendo a Amar
 3- Lições do Coração
 4- Caminhos do Coração
 5- Rendição ao Desejo
 6- Casamento Acidental
 7- Desafio de uma vida
 8- Caminhos da sedução
 9- Adorável Texano
 10- Acreditar Outra Vez
 11- Adeus ao Amor
 12- Anjo do Oeste
 13- Estação do Amor
 14- Primavera do Amor
 15- Marido No Papel
 16- Longo Verão Texano – Tom-Drew-Jobe
 17- O natal do Cawboy
 18- Tudo Por Um Beijo
 19- Sempre te amei
 20- Estações Do Amor
 21- with a Long -Luke,Christopher ,Guy
 22- Entregando o Coração
 23- Casamento de Branco
 24- Feitiço do amor
 25- Nas mãos do destino
 26- O Senhor Da Paixão
 27- O Fundador
 28- Fora da Lei
 29- Renegado
 30- Doce Desejo
 31- Feridas De Amor
 32- A tentação do desejo
 33- Segredos –O Estranho-Forasteiro
 34- Avassalador -O Destruidor De Corações
 35- Homem da Lei 
 36- Rosas de Inverno
 37- Coração de Aço
 38- Destemido
 39- Coração de Pedra
 40- Homem da Noite Silenciosa
 41- Impiedoso
 42- O Rebelde
 43- Indomável
 44- Perigoso
 45 –Implacável
 46 -Imutável
 47- Valente
 48- Protetor
 49- Invencível
 50- Nascido no Texas
 51 - Indomado
 52 - Defender





TI

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Ama-me, porque te Amo

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Com o coração ferido, Cassidy não podia amar outra vez.

Cassidy começava a derreter-se de prazer nos braços de Reid Cavanaugh, quando se deu conta de seu gesto impensado. 
Por mais que ele a deixasse louca de desejo, não podia entregar-se à paixão sem se torturar. 
Uma vez, tivera tudo na vida e perdera: o homem a quem amara e o filho que não nascera. Poderia arriscar-se com um novo amor?
Melhor seria tentar. E se Reid fosse a chance que precisava para curar seu coração dilacerado pelas cicatrizes do passado?
Capítulo Um

O sol banhava o topo da ampla escadaria, mas o casarão de estrutura de madeira ainda estava em silêncio. As garotas que tinham aula cedo já estavam na universidade; o resto, como sempre, ainda dormia quando Cassidy Adams saiu do pequeno apartamento de dois cômodos reservado para a orientadora do alojamento e desceu para a sala de jantar.
Uma moça, que vestia roupas caras e tinha a maquilagem perfeita, levantou os olhos da torrada integral e suspirou, lamentosa.
— Qual é o problema, Heather? — Cassidy perguntou, servindo-se de café.
— Você.
— Mas acabei de levantar!
Cassidy pegou uma tigelinha de salada de frutas, pôs dois brioches no prato e sentou-se à cabeceira da mesa.
— É isso que me incomoda! Todas as garotas deste alojamento perdem metade de um dia para ficar com boa aparência é em apenas cinco minutos da manhã você nos pões no chinelo! Não é justo! Tudo o que você tem de fazer com seu cabelo é passar uma escova... e como conseguiu esse brilho e esses cílios maravilhosos, então...
— Com uma maravilhosa invenção: o rímel — Cassidy interrompeu, cobrindo a saia com o guardanapo.
— Aposto como comprou sua roupa numa liquidação — Heather continuou, amarga. — E está com um aspecto muito melhor do que tudo o que tenho em meu guarda-roupa!
— Acho que estaria se sentindo melhor se comesse melhor — Cassidy respondeu.
— Engordei um quilo na semana passada! Se continuar assim, não vou caber no meu vestido de formatura e menos ainda no vestido para o baile da primavera. Você sabe que metade dos rapazes que vêm aqui estão mais interessados em ver você do que o resto das meninas?
— Heather, você sabe que eu nunca encorajei esse tipo de comportamento — Cassidy protestou.
— E nem precisa. Parece que você vive envolvida numa nuvem de paz, apesar de todos os problemas que surgem em volta. Isso me deixa louca. Como aprendeu a ser assim?
— Não sei do que está falando — Cassidy respondeu, sorrindo. Ouviu-se alguém descendo as escadas correndo e uma garota ainda de camisola entrou na sala.
— Cassidy, a Melanie emprestou minha blusa rosa-choque para sair com o namorado ontem à noite e agora a frente está toda manchada. Veja só! — a garota disse, atirando a blusa para Cassidy.
Cassidy controlou-se. Mais uma manhã normal no alojamento Alfa Qui!
— Já perguntou a Melanie o que aconteceu, Laura?
— Não... a preguiçosa ainda está dormindo. Também, só voltou bem depois do horário de silêncio!
— Eu sei. Fui eu que abri a porta para ela — Cassidy respondeu. — Melanie foi muito atenciosa em lhe devolver a blusa antes de ir dormir, não foi?
— Bem, na verdade eu entrei no quarto dela e peguei agora a pouco— Laura admitiu, baixando a cabeça.
— É? Eu pensei que estava combinado que nenhuma garota invadiria o quarto da outra — Cassidy disse, levantando-se. — Tenho certeza de que você e Melanie vão chegar a um bom acordo, Laura. Discutir seus problemas entre si é melhor do que levar o assunto para o conselho, não acha?
Já estava quase na porta da cozinha quando ouviu Heather resmungar:
— E ela ficou acordada até de madrugada! 

Série A Herança Dos Caroselli

1- O Amor está ao lado
ROMANCE CONTEMPORÂNEO

Para receber uma herança, Nick Caroselli precisa de um filho. 

E sua melhor amiga, Terri Phillips, é a candidata perfeita para gerá-lo. 
Afinal, ela sempre sonhou em ser mãe. 
Depois do nascimento, educariam a criança juntos, mas cada um teria a sua vida. Parecia o plano perfeito, porém, eles não contavam com o intenso desejo que surgiria de um simples toque!




2- O Amor onde menos se espera

Quando um beijo na virada do ano abriu caminho para uma deliciosa noite de prazer, o destino de Caroline Taylor foi selado! 

Ela logo percebeu que seu amante é o diretor de marketing da Caroselli Chocolate... e seu novo trabalho é reformar o departamento dele. A situação se torna ainda mais complicada quando Caroline descobre que está esperando um filho de Robert Caroselli!



3- A Escolha do Amor
Lucy Bates se apaixonou perdidamente por Tony Caroselli. 

Então, decidiu fugir para preservar o coração. Mas quando descobre que está grávida, ela volta para lhe dar a notícia... e o encontra prestes a se casar com outra! 
Tony fica aliviado com a interrupção da cerimônia. Afinal, só existe uma mulher que ele realmente deseja. E se Lucy aceitar ser sua esposa, Tony poderá conseguir tudo o que sempre sonhou.








Série A Herança Dos Caroselli
1- O Amor está ao lado
2- O Amor onde menos se espera
3- A Escolha do Amor
Série concluída

Adeus ao Amor

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
A última coisa de que Ted Regan precisava era uma jovenzinha desmaiando por ele. 

Mas Beatrice Tarleton havia mesmo se apaixonado pelo sexy e milionário caubói.
Sempre que ela estava por perto, Ted podia sentir seu autocontrole enfraquecendo, mas jamais admitiria o efeito incontrolável que Beatrice exercia sobre ele.
Ela sabia que havia de alguma forma tocado o coração dele, mas Ted ainda assim fugiu dela e de seu amor. Mas agora, ela não é mais a mesma menina tímida, rejeitada por ele anos atrás.
O passado ainda ameaça mantê-los separados, mas este texano não permitiria que seu orgulho se pusesse outra vez no caminho de sua felicidade!

Capítulo Um

O homem alto e de cabelos grisalhos estava um pouco separado do resto do grupo, os olhos fixos na jovem de preto ao lado de Sandy. Seu primo Barry morrera e aquela mulher era a culpada. Não só atormentara o marido durante dois anos, levando-o ao alcoolismo, como também deixara que pegasse o carro quando estava bêbado; ele caíra de uma ponte e morrera. E ali estava ela, quatro milhões de dólares mais rica, sem derramar uma lágrima sequer e completamente impassível. Notando o olhar frio de Ted, Sandy se aproximou:
— Pare de ficar olhando assim para ela. Como pode ser tão desagradável? — perguntou, zangada.
Ele tinha quarenta anos, quinze mais velho do que sua irmã, mas ficara grisalho prematuramente, enquanto os cabelos de Sandy continuavam escuros. Ambos tinham os mesmos olhos azuis e o mesmo temperamento exaltado.
— Estou sendo desagradável? — ele sorriu, gélido, levando o cigarro à boca.
— Você prometeu que ia largar de fumar.
— E larguei. Só fumo quando estou muito tenso e ao ar livre.
— Não estou preocupada com os que respiram a sua fumaça: é meu irmão e me importo com você.
— Vou tentar parar, sossegue... — Olhou novamente para a viúva. — Ela é qualquer coisa, não? Não vi nenhuma lágrima e foram casados por dois anos!
— Ninguém sabe o que acontece num casamento, Ted.
— Creio que não. Eu nunca quis me casar, mas parece que funciona para algumas pessoas.
— Como os Ballenger, aqui de Jacobsville — comentou Sandy, sorrindo —, que se dão muito bem. Tenho inveja deles.
Ted não estava a fim de falar nisso. Deu outra tragada no cigarro e olhou para a viúva, que estava perto da limusine negra.
— Por que o véu cobrindo o rosto? — inquiriu ele. — Ela tem medo que a mãe de Barry repare que não está chorando?
— Você é tão cínico, Ted! Não é de admirar que nunca tenha se casado. As pessoas dizem que no sul do Texas não há mulher nenhuma que tenha coragem bastante para se arriscar!
— Não há mulher no sul do Texas que eu queira.
— E a última de todas é Beatrice Tarleton — acrescentou ela, reparando que ele voltava a fitar com ódio sua melhor amiga.
— Ela é mais jovem que você — lembrou ele. — Vinte e quatro anos contra os meus quarenta. É jovem demais, mesmo que eu estivesse interessado. Mas não estou.
— Ela não é como você pensa, Ted.
— Acho bonita sua lealdade para com as pessoas que ama, porém nunca vai conseguir me convencer que essa viúva está triste.
— Você sempre foi muito grosseiro com ela — acusou a irmã.
— Ela sempre me irritou.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Melodia do Coração

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Sedução implacável!

Bastiaan Karavalas adora o jogo de sedução, e seu alvo da vez é a hipnotizante Sarah Fareham. 

Pena que seus esforços não serão apenas por prazer… ela é uma ameaça a sua família que deve ser impedida a todo custo! 
A doce Sarah sonha em ser cantora de ópera, mas precisa sustentar-se trabalhando em uma boate. 
Por isso, esconde suas inibições por trás da personagem Sabine, que acaba se tornando seu único escudo ao ataque sensual de Bastiaan. 
Porém, ninguém consegue resistir a esse poderoso magnata por muito tempo. Será que a fachada dura de Sarah é suficiente para proteger seu coração?

Capítulo Um

— Você sabe, é você quem eu culpo. — A tia de Bastiaan tentou rir quando falou, mas foi uma risada hesitante, percebeu ele. — Foi você quem sugeriu que Philip ficasse na sua casa de campo em Cap Pierre!
Bastiaan aceitou a crítica.
— Achei que poderia ajudá-lo... Sair um pouco da linha de tiro para finalizar seus trabalhos da faculdade com paz e sossego.
Sua tia suspirou.
— Infelizmente, parece que ele saltou da frigideira diretamente para o fogo. Ele pode ter escapado de Elena Constantis, mas esta mulher na França soa infinitamente pior.
Os olhos escuros de Bastiaan assumiram uma expressão mordaz.
— Infelizmente, em qualquer lugar do mundo em que estiver, Philip será um alvo.
— Se ele ao menos não tivesse um coração tão doce. Se ele tivesse a sua... tenacidade — retrucou a tia de Bastiaan, seu olhar pousando no sobrinho.
— Vou tomar isto como um elogio — respondeu Bastiaan secamente. — Mas Philip vai endurecer, não se preocupe. — Ele vai precisar endurecer, pensou causticamente. Assim como ele mesmo precisou fazer.
— Ele é tão impressionável! — vociferou a tia. — E tão bonito. Não é de se admirar que essas meninas malucas façam fila atrás dele.
E, claro, tão rico, acrescentou Bastiaan cinicamente, mas não verbalizou. Não fazia sentido preocupar sua já ansiosa tia ainda mais. Era a riqueza de Philip, a riqueza que ele ia herdar de seu falecido pai, tão logo completasse 21 anos, dali a alguns meses, que iria atrair mulheres muito mais perigosas do que princesinhas mimadas irritantes e fastidiosas feito Elena Constantis. O perigo real viria de um tipo muito diferente de mulher.
— Chame-as como quiser — e Bastiaan tinha vários nomes um tanto inadequados para os ouvidos de sua tia, o mais conhecido deles era: interesseira. Mulheres que batiam o olho em seu primo jovem, bonito, impressionável e futuramente muito rico, e logo lambiam os lábios em expectativa.
Esse era o problema agora. Uma mulher que parecia estar lambendo os lábios diante de Philip. E o perigo, Bastiaan sabia, era muito real. Pois Philip, conforme informara Paulette, sua governanta em Cap Pierre, estava longe de se concentrar diligentemente em seus trabalhos e vinha frequentando a cidade vizinha, Pierre-les-Pins, e um local lá que era um tanto indesejável para um jovem de 21 anos. Aparentemente, atraído por uma mulher ainda mais indesejável que trabalhava lá.
— Uma cantora de boate! — lamentava sua tia agora. — Não consigo acreditar que Philip se apaixonaria por uma mulher assim!
— É um belo clichê com certeza... — comentou Bastiaan.
— Um clichê? Bastiaan, isto é tudo que você tem a dizer sobre o assunto?
Ele balançou a cabeça.
— Não. Eu poderia dizer muito mais... mas para quê? — Bastiaan ficou de pé. Ele era dotado de uma altura imponente, tinha bem mais de 1,82m, e estrutura poderosa. — Não se preocupe... — Sua voz agora era reconfortante — ...

Romance de Fachada

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Um romance conveniente!

Gwyn Ellis se meteu em uma grande confusão! 

Fotos indecorosas dela foram publicadas na internet, ameaçando seu adorado trabalho na Donatelli International. 
Ninguém quis ouvi-la explicar que fora uma armação, a não ser seu chefe, o sensual Vittorio Donatelli. Ele está disposto a tudo para proteger o império de sua família de um escândalo. E se precisar transformar a bela Gwyn em sua amante para combater os rumores maliciosos, Vittorio o fará… e com muito prazer!
Capítulo Um

Gwyn Ellis olhou da tela para Nadine Billaud, gerente de relações públicas da Donatelli International, e voltou a olhar para a tela.
— Esta é você, oui? — cutucou Nadine.
Gwyn não conseguia falar. O coração dela começou a martelar contra as costelas no instante em que se reconheceu. Um suor frio escorria. O ar não conseguia passar pela garganta contrita dela, muito menos palavras.
Aquela era ela. Nua. Bem ali na tela do computador, suas nádegas expostas nítidas como a lua, belamente emolduradas pelo fio dental rosa sexy. Todo mundo tem um traseiro mais ou menos parecido, mas ela era extremamente seletiva quanto a exibir o dela para qualquer pessoa. Assim, certamente não mandava fotos como aquela por e-mail para homens que mal conhecia. Ou as publicava na internet.
Era como se uma corrente elétrica congelante estivesse vibrando pelo corpo dela, paralisando-a.
A foto mudou, e o torso nu com o lençol amarrotado cobrindo a cintura também era dela. A maneira como os seios se destacavam, ao arquear as costas e erguer o cabelo com as mãos, era deliberadamente erótica, assim como aquela expressão inocente de prazer. Ela parecia que tinha passado o dia todo fazendo amor, como se soubesse o que era isso!
Então a foto final surgiu novamente. Ela estava ajustando o elástico da calcinha rosa, com o quadril inclinado para o lado, como se decidisse provocantemente se devia tirá-la ou não; os olhos baixos, indolentes, e os lábios curvados sutilmente.
A luz era dourada e sua pele brilhava levemente, por causa do óleo, percebeu ela quando seu cérebro voltou a funcionar após o choque. Aquelas fotos tinham sido tiradas em um spa, onde fizera uma massagem para se livrar da dor entre as omoplatas que a torturava há semanas. Estava se vestindo após a sessão, relaxada e confortável no que acreditava ser a mais completa privacidade.
A mesa de massagem havia sido retirada das imagens, deixando uma parede lisa verde-acinzentada e flores borradas e indistintas ao fundo. Poderia ser um quarto de hotel, o quarto dela, ou qualquer coisa que o público pudesse imaginar.
O estômago dela revirou. Achou que estava hiperventilando quando começou a ouvir um chiado distante. Ela queria vomitar, desmaiar, morrer. Por favor, Deus, me leve agora.
— Mademoiselle? — importunou Nadine.
— Sim — balbuciou ela. — Sou eu. — Então, quando percebeu a gravidade da situação toda, ela acrescentou: — Pode fechar isto, por favor?
Ela olhou para signor Fabrizio, seu supervisor. Ele estava sentado ao lado dela com uma expressão desdenhosa no rosto de meia-idade.
— Por que você as está mostrando agora, com ele aqui? — perguntou Gwyn. — Não dava para fazer isto em particular?
— Elas estão disponíveis para todo mundo conectado à internet. Eu já as vi — disse Fabrizio petulantemente. — Fui eu que chamei a atenção de Nadine para elas.
Ele já tinha olhado bem para elas? Que nojo.

Enfeitiçado pela Paixão

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Série Amores Inesperados
Em troca de seu legado eles oferecem uma aliança de diamante!

“Você será minha!”
Com sua identidade preservada, Allegra Valenti adentra o baile de máscaras mais glamoroso da Itália, determinada a aproveitar seus últimos momentos de liberdade antes do casamento arranjado. 
Porém, um encontro apaixonante com um desconhecido trouxera consequências inesperadas, que colocam em risco seus planos e sua reputação. 
O sombrio duque Cristian Acosta não consegue acreditar que a sedutora mascarada com quem se envolvera é a irmã de seu melhor amigo. Agora, para proteger o legado de sua família, Cristian terá de convencer Allegra a se tornar sua esposa!

Capítulo Um

Ele era a morte vindo buscá-la. Pelo menos era o que ele parecia ao descer a escadaria em espiral do salão de festas, com a capa negra ondulando atrás de si, correndo as pontas dos dedos pelo elegante balaústre de mármore. Era como se Allegra sentisse o toque na própria pele, e pelo resto da vida ela iria se perguntar como teria sido.
Ele estava mascarado, igual ao resto dos convidados, mas as similaridades entre ele e qualquer outra pessoa — qualquer outro mortal, na verdade — acabavam aí.
Ele não usava as mesmas cores vivas dos outros homens presentes; vestia apenas preto.
A máscara que cobria o seu rosto era feita de algum material cintilante, negro como a noite, no formato de uma caveira. O rosto dele também devia estar pintado de preto, pois ela não conseguia encontrar nenhum traço de humanidade nos pequenos espaços abertos da intrincada peça de metal.
Ela não foi a única mulher a ficar embasbacada com a aparição dele — um murmúrio atravessou o salão. Criaturas resplandecentes envoltas em seda tremiam de antecipação, à espera de um olhar, um vislumbre. Allegra não era uma exceção. Com a identidade oculta pelas belas pinturas desenhadas em seu rosto, ela se permitiu ao luxo de olhá-lo.
A festa, realizada em um dos hotéis mais lindos e históricos de Veneza, era oferecida por um dos sócios do irmão dela. Era um dos eventos mais exclusivos do mundo, frequentado apenas pela elite.
As famílias mais antigas e ricas da Itália. Fortunas novas e velhas. Herdeiras cobiçadas que capturavam a atenção de salões inteiros com um olhar insolente.
Ela era um deles, supunha. A fortuna de seu pai era velha e nova. Sua linhagem aristocrática remetia à Renascença. Porém, diferente do avô, o pai dela tinha conseguido transformar sua posição social em ouro. Ele havia transformado as propriedades caindo aos pedaços que herdara em grandes negócios, alçando-as à estratosfera social e financeira.
Renzo, o irmão dela, havia elevado ainda mais o status da família Valenti ao transformar a empresa do pai em um negócio global, aumentando exponencialmente a fortuna da família.
Ainda assim, Allegra não se via como uma daquelas mulheres. Não se sentia sedutora ou vibrante. Sentia-se... Enjaulada.
E essa era a chance dela. A chance de perder a virgindade com um homem de sua escolha, em vez de um príncipe a quem estava prometida em casamento, que não agitava o seu coração e nem a sua imaginação.
Talvez um pecado desses fosse mandá-la direto para o inferno. Mas quem melhor para levá-la do que o Diabo em pessoa? Ele estava ali, afinal de contas. E com aquela entrada, ele a tinha afetado mais intensa e profundamente até do que o próprio noivo arranjado já havia conseguido.
Ela deu um passo em direção à escadaria, mas parou. O coração batia com tanta força que ponderou se não estava doente. Quem ela achava que era? Ela não era do tipo de mulher que abordava um homem estranho em uma festa.
Abordá-lo, flertar com ele e pedir para...



Série Amores Inesperados
1- Enfeitiçado Pela Paixão

2- Desejo Profundo
3- Fonte de Amor - a revisar

Sonhos e Devaneios

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
“Como te amo Harriet! Desejo tanto tocar seu corpo, ver em seus olhos o brilho de paixão. 

Sentir o pulsar do meu coração em harmonia com o seu. Minhas mãos aprendendo ávidas, o caminho das curvas dos teus seios, da suavidade dos teus quadris...” 
Harriet vibrava com as reações que Rigg lhe despertava. 
De repente, abriu os olhos e viu-se sozinha no imenso leito, acordando de um sonho quase real...



Capítulo Um

Harriet ficou preocupada ao perceber que não chegaria à cidadezinha antes do anoitecer.
Era culpa sua. Atrasara-se ao partir de Londres e fizera uma parada na estrada durante à tarde. Agora o sol já se punha e ainda faltava uma boa meia hora antes de alcançar o vilarejo e seu novo lar.
Louise a achava louca ao saber de seus planos.
— Deixar Londres por uma pequena e remota aldeia perdida na fronteira com a Escócia? — a irmã indagara, perplexa.
Harriet estremecera ao comentário. De qualquer forma, ela e a irmã jamais haviam partilhado os mesmos gostos.
Pensar em Louise fazia Harriet sentir-se desconfortável e ansiosa. Desde a morte dos pais, assumira o fardo da irresponsabilidade da irmã como se fosse sua filha.
Havia apenas quatro anos de diferença entre ambas. No entanto, parecera natural que ela abandonasse seus planos de ensinar no exterior, quando os pais faleceram. Assumira um posto em Londres, que lhe permitia tomar conta da moça e sustentar a casa.
Tinha então vinte e dois anos, e Louise, dezoito. A irmã se mostrara sempre rebelde e voluntariosa.
Harriet decidiu usar a parte da herança que recebera, comprando uma pequena casa numa área residencial de Londres, onde imaginava formar um lar para a caçula. Esta decidiu usar todos os seus recursos para pagar um dispendioso curso de modelo.
Harriet suspeitava que a irmã se sentia atraída por uma vida charmosa, e que a carreira de modelo seria fácil e divertida. Não havia como negar que Louise era bonita. Faltavam-lhe, porém, a aplicação e a disciplina necessárias para obter sucesso num mundo tão competitivo.
Louise recusara-se a ouvi-Ia. Depois de um ataque de nervos, saíra de casa. A despeito de todas as tentativas para encontrar a moça, Harriet nada soube dela por seis meses. Foi um período de ansiedade e preocupação. Sentia-se culpada por não ter conseguido conduzir os problemas de modo mais satisfatório.
Aos poucos, no entanto, começou a organizar a própria vida. Conseguiu firmar-se profissionalmente no grande estabelecimento onde lecionava inglês, sendo mesmo promovida. Sua vida social se enriqueceu com um ou dois novos amigos e passou a sair com um colega, Paul Thorby.
De repente, como caída do céu, Louise reapareceu, anunciando que estivera vivendo na Itália, onde exercera a profissão de modelo.
Sentia-se muito à vontade, falando apenas de si mesma, dos planos para o futuro. Em nenhum momento preocupou-se em se desculpar por ter sumido tanto tempo sem dar notícias. Harriet, porém, estava tão aliviada que silenciou.
Louise contou que ia se casar com um rico italiano que encontrara em Turim e que só voltara a Londres para comprar o vestido de noiva.
Quando Harriet soube que os noivos se conheciam há apenas seis semanas, rogou à irmã que esperasse um pouco mais. Louise, como sempre, recusou-se a ouvi-la.
Casaram-se em Turim dois meses depois de terem se conhecido e, embora Harriet apreciasse bastante o novo cunhado, sentia-se preocupada quanto à capacidade de adaptação da irmã, a viver tranquila no seio da enorme família de Guido.
Paul Thorby lembrou-a de que Louise era adulta e capaz de tomar as próprias decisões. Apesar do bom conselho, aquele belo homem podia tornar-se petulante se não obtivesse atenção integral. Era filho único, mimado. Levou Harriet para conhecer a mãe, e a moça reconheceu imediatamente que ela e Sarah Thorby jamais se dariam bem.
Tinha, então, vinte e quatro anos, e a consciência de um vago sentimento de insatisfação com a própria vida. O que acontecera com todos os sonhos brilhantes de viajar ou explorar um pouco o mundo, antes de se dedicar à carreira?
A morte dos pais alterara todos os planos. Mas não havia razão para que não os realizasse agora. Louise estava casada. Ela só precisava se preocupar consigo mesma. Talvez no fim do ano escolar...

Um Romance de Verdade

ROMANCE CONTEMPORÂNEO

Era um jogo de amor: Stephanie jurou conquistar seu patrão.

Mulher apaixonada, ela desejava um final feliz para sua história de amor.
Stephanie adorava desafios, mas conquistar o patrão estava além dos seus sonhos. 

Na sua opinião, ninguém seria capaz de derreter o gelo que envolvia o coração do todo-poderoso Jonas Lockwood. 
Porém, as amigas, ávidas leitoras de romances, acabaram por convencê-la de que era a mulher ideal para conseguir tal proeza.
Stephanie, então, iniciou um jogo de sedução, no qual apostou seus sentimentos e perdeu. Apaixonada por Jonas, viu-se rejeitada e demitida assim que ele descobriu o complô que o envolvia.

Capítulo Um

Stephanie Coulter entrou no departamento pessoal das indústrias Lockwood carregando uma bolsa de couro marrom. Sua amiga, Joan Michaels, encarou-a surpresa.
— Você por aqui?! A que devo a honra dessa visita?
Em resposta, Stephanie apenas largou a pesada bolsa sobre a mesa de Joan.
— O que é que você tem aí?
Stephanie sentou-se na ponta da mesa e sorriu.
— Maureen mandou os livros. Parece que agora virei entregadora de romances...
— Mas... e Potter? Continua doente?
— Infelizmente — ela assentiu com tristeza.
A manhã toda havia sido muito frustrante para Stephanie, já que seu chefe permanecia afastado pelo terceiro dia consecutivo por causa de uma forte gripe. Nos dois primeiros dias ela se ocupara com o arquivo e outras pequenas tarefas pendentes. Na terceira manhã, porém, não lhe sobrara mais nada para fazer. Por isso acabou datilografando uma carta para os pais, o que a fez sentir-se culpada por fazê-lo durante o horário de trabalho.
— Nem a velha Bertha apareceu hoje — Joan informou.
Berta Westheimer era a secretária do presidente da companhia, Jonas Lockwood. Nos dois anos que Stephanie que trabalhava ali, ela não vira Bertha faltar um único dia sequer. Por essa razão, Stephanie jamais exercera suas funções no andar superior e duvidava que chegasse a fazê-lo algum dia. Bertha zelava pelo seu território com unhas e dentes.
— Adivinhe só quem está substituindo Bertha?! Você vai adorar! — Joan provocou com ironia.
— Quem? — Stephanie pensou numa possível candidata, mas não conseguiu chegar a nenhuma conclusão.
— Stella Palmer.
— Quem?!
— Stella Palmer. Ela está aqui há apenas um mês, trabalhando como datilógrafa, escute só, é sobrinha de Bertha...
— Eu posso imaginar muito bem como isso tudo vai terminar.
— Eu ainda não recebi nenhuma queixa. Mas ainda é cedo para dizer alguma coisa. — Joan abriu a bolsa e tirou o primeiro livro da pilha, olhando para Stephanie. — Você tem certeza de que não quer ler um desses romances? Eles são ótimos para matar o tempo, Steph!
Stephanie ergueu as duas mãos e sacudiu a cabeça em negativa.
— Oh, não, não daria certo. Já pensou o que Potter diria se entrasse no escritório e me pegasse em flagrante?
— Leve um para casa, então...
— Não, obrigada. Não suporto romances.
Pelo olhar que Joan lhe lançava, Stephanie percebeu que a amiga não gostara da resposta. Afinal, a maioria das funcionárias das Indústrias Lockwood costumava ler e trocar romances.
— Eu gostaria que você não fosse tão teimosa, pois...
De súbito, Joan interrompeu a frase. A porta do departamento se abriu, e o sr. Lockwood em pessoa entrou na sala. Era alto e possuía ombros largos e retos. Caminhava com o auxílio de uma bengala, mancando mais que das outras vezes em que Stephanie o vira.
— Que droga, Michaels!



Mágoas do Passado

ROMANCE CONTEMPORÂNEO





Duas mulheres brigando pelo mesmo objetivo: o amor de Quinn!

Que ridículo triângulo amoroso! 
Christine pensou, sua cabeça ainda latejando, as duras ameaças de Lucinda ecoando em sua mente, assustadoras. 
Gostaria de revidar as agressões, de devolver palavra por palavra àquela mulher que insistia em humilhá-la. Mas estava de mãos atadas. 
Não podia sequer alegar o amor de Quinn, um amor que já duvidava ser verdadeiro. Se fosse, Quinn continuaria mantendo Lucinda sob o mesmo teto, com regalias de esposa?

Capítulo Um

Havia diversas cartas na caixa de correspondência quando Christine chegou em casa. Ela deu uma rápida olhada em todas elas e levou consigo a única que lhe interessou. Pelo sobrescrito do envelope pôde reconhecer a caligrafia de seu irmão Richard. A letra dele não havia melhorado muito desde que era criança, ela pensou.
“Querida Christie”, assim começava a carta. Christine sorriu entre irônica e apreensiva; toda vez que o irmão se dirigia a ela com aquelas palavras era sinal de problemas à vista. Ainda assim, afundou-se numa das poltronas da sala e começou a ler, com ansiedade.
Não se enganara. Aquela carta estava repleta de queixas e revelações: por um lado havia a menção do humor instável de Jilly, a jovem esposa de Richard, e seus acessos de ciúme e histeria, seu desmazelo e falta de cuidado com as formas do corpo, sua impaciência para com ele próprio e os filhos, sua louca mania de perseguição; por outro, os consequentes e compreensíveis desânimo e perplexidade de Richard. Christine podia ver com clareza o quadro que seu irmão começava a traçar: Jilly, a esposa neurótica e infeliz, ele, o maridinho inocente e injustiçado; em outras palavras, a vítima.
Fechou os olhos, apertando-os com força. Embora amasse o irmão sincera e profundamente, ela, ao contrário da cunhada, jamais fora cega aos defeitos dele. Preocupações com relação ao jovem casal eram uma constante, mas agora, ao continuar a leitura, ficou chocada ao tomar conhecimento de que Jilly abandonara o marido e os dois filhos pequenos: o adorável Timmy, de quase quatro anos, e a graciosa Melissa, com pouco mais de dois.
Christine até podia compreender que a cunhada pretendesse dar uma boa lição em Richard, mas deixar as crianças… Como estariam os pobrezinhos àquela hora?
Deus, aquilo era uma loucura! Jilly não suportaria viver sem Richard, que diria então sem os filhos, a quem era tão apegada?
A moça tinha um coração dócil, amoroso e Christine não podia acreditar que ela tivesse agido com leviandade. Seu destino tinha sido selado prematuramente, aos dezoito anos, quando encontrara pela primeira vez os ardentes e atrevidos olhos cor-de-mel de Richard.
“O que você fez a ela, seu insensato?”, Christine gritou de repente, sua voz ecoando na sala. Estimava muito a cunhada e tomava o partido dela, como qualquer pessoa justa e de bom senso faria. Richard era, em muitos aspectos, uma criatura encantadora, porém, nem mesmo sua própria irmã poderia qualificá-lo de ajuizado. A vida sempre fora um jogo para ele.
Christine dobrou e guardou a carta. A atração sexual podia ser uma coisa perigosa, ela ponderou. Lá estavam agora dois jovens que haviam se casado aos dezoito anos, supondo que a paixão que sentiam um pelo outro pudesse garantir o sucesso do casamento. Agora, no entanto, poucos anos mais tarde, Jilly deixava o marido sem qualquer explicação. Certamente as coisas deviam ter ultrapassado os limites de tolerância. Se deixara Richard e os filhos era porque, de alguma forma, o marido a decepcionara profundamente.
Jilly sempre fora louca por Rick, pelo menos até um mês antes, quando enviara sua última carta. Tempos atrás Richard havia perdido todo o interesse pelo negócio rendoso que tinha na Inglaterra e resolvera deixar para trás a bela casa e todo o conforto a que estava habituado, para carregar a família para um fim de mundo qualquer na Austrália. O lugar chamava-se Rambulara e era uma daquelas propriedades pastoris, de milhares de alqueires de extensão, pertencente a uma das poucas famílias que dominavam aquela região distante.
Christine levantou-se e preparou algo para beber. Sem dúvida, aquele momento justificava um drinque. O que, afinal, significava aquela carta? Tanto Richard quanto Jilly haviam escrito diversas vezes de seu novo lar, usando palavras talvez entusiastas demais para descrevê-lo. Citavam o esplendor selvagem, o trajeto do sol no horizonte vermelho e deserto, o fascínio da miragem azul, a imensidão daquela terra antiga, a viagem que haviam feito até um lugar conhecido como Dead Heart…

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Tudo por Você

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Série Família Kowalski
O maior desafio de suas vidas!

Estar sempre viajando a trabalho é a desculpa perfeita para Mitch Kowalski se livrar de mulheres que desejam prendê-lo. 
Contudo, ele fica extremamente intrigado quando volta para sua cidade natal e conhece Paige Sullivan.
Depois de uma infância nômade, Paige está feliz em fincar raízes. 
Determinada a ser independente, ela acredita que não precisa de homem algum. Porém, quando Mitch oferece seis semanas de sexo sem compromisso, Paige fica tentada a aceitar. 
Ter um caso passageiro parecia o acordo perfeito... até perceberem que esse relacionamento não tinha nada de casual.

Capítulo Um

Mitch Kowalski estava a quase cem quilômetros por hora quando passou veloz pela placa “bem-vindo a Whitford, Maine”, e teria sorrido, se sorrir em uma Harley, no crepúsculo, com um capacete aberto, não significasse engolir um grande número de insetos.
Estava em casa novamente. Ou estaria, depois que passasse direto pelo centro do vilarejo e pilotasse a moto, com cuidado, ao longo da estrada de terra que levava à Northern Star Lodge. 
Embora se sentisse ansioso para chegar, aliviou o acelerador quando as primeiras luzes da rua principal surgiram em seu raio de visão.
Fazia três anos que não visitava sua terra natal, mas ele poderia trafegar na estrada com os olhos fechados. Passaria pela agência de correios, onde conseguira seu primeiro emprego de verdade — e depois o perdera, porque folhear a revista Playboy do velho de Farr era muito mais interessante do que classificar contas de luz. Em seguida, vinha a Whitford General Store; Service Station, de propriedade de Fran e Butch Benoit. 
No primeiro ano do colegial, ele levara a filha do homem ao baile e depois lhe dera uns amassos de encontro ao quadro-negro em uma sala de aula vazia.
Mitch reduziu a marcha e parou em um cruzamento de quatro vias que passava pelas principais interseções do vilarejo. À esquerda, havia duas fileiras de prédios de tijolos antigos que abrigavam o banco e a sede da prefeitura da cidade e algumas pequenas empresas. 
À direita, situava-se o departamento de polícia, que sempre contara com a presença dos rapazes Kowalski na juventude, e a biblioteca, que era um território de caça fértil para um adolescente tentando dissuadir as meninas inteligentes a deixarem de lado seus trabalhos de álgebra.
Sim, era bom estar em casa, mesmo que todo o comércio já estivesse fechado àquela hora. O povo de Whitford sabia que, se tivessem negócios a tratar no centro do vilarejo, deveriam fazê-lo antes do noticiário noturno. 
Ele atravessou o cruzamento, mas não foi muito longe, antes de o velho restaurante chamar sua atenção. Ou melhor, o letreiro, já que se encontrava iluminado.
Na última vez que passara ali, o lugar havia sido fechado devido a problemas econômicos e um proprietário que não se preocupou o suficiente para tentar salvá-lo. Mas agora havia um novo nome no letreiro, alguns carros no estacionamento e a luz vermelha de néon na janela era um indício de que estava aberto.
Seu estômago se manifestou, embora o sentisse mais do que ouvisse o barulho, devido ao ronco potente de sua moto. Mitch resolveu parar no estacionamento. 
Josh, seu irmão, não o esperava, a menos que as caixas de roupas e outras coisas que ele enviara na frente tivessem chegado. Além do mais, não comia há horas. Em vez de ir vasculhar as sobras na cozinha da hospedaria, decidiu fazer um lanche rápido antes de seguir viagem.
A primeira coisa que notou ao passar pela porta da frente foi a decoração totalmente remodelada, inspirada nos anos 1950, com uma profusão de vinil vermelho e mármore preto e branco. A segunda, foi a pessoa atrás do balcão, uma mulher que ele nunca vira antes, o que era raro em Whitford.
Imaginou que ela devia ter aproximadamente 30 anos, sete anos mais jovem que ele, o que parecia adequado para ela.


Série Família Kowalski
4- Tudo por Você
5- All He Ever Desired - a revisar
6- All He Ever Dreamed
6.5 Alone With You
7- Love a Little Sideways
8- Taken with You
9- Falling for Max